segunda-feira, 11 de fevereiro de 2013

Fora do teu alcance.

Fingindo ser o que não sou para sair do palco. Não quero estar no teu holofote.
Atuando como uma guria fútil. Sendo o posto daquilo que sou. Transformando-me no que odeio, diante de ti.
Não desejo ser algo temporário à ninguém e muito menos para todos. Fita que gruda em vários lugares perde a cola.
Comigo é assim: 8 ou 80. Escolha ou morra. Fique ou parta.
Escolho sair de cena, antes que meu nome torne-se conhecido de maneira indevida.
Sim, essa sou eu. Careta e crítica. Sem rodeios e cerimônias.
Essa sou eu, e ninguém mais.

Adeus.