domingo, 18 de dezembro de 2011

Não sei se é meu mundo que está desmoronando ou se sou eu que comecei a ficar mais pesada que o céu.

quarta-feira, 30 de novembro de 2011

Confusão.

Eu me pergunto em determinados momentos quem está falando por mim. Razão ou coração? Certas coisas ainda parecem confusas. Não sei se é o tempo ou coisas do gênero, mas há algo que me deixa insegura com relação a determinadas coisas.
Extremos. Diferenças. E agora?

domingo, 18 de setembro de 2011

Há coisa melhor do que estar em paz com teu próprio coração?
Do que sentir a felicidade inundar-te?
Do que as coisas começarem a ocorrer positivamente?
Do que saber que nada ocorre em vão?

FELICIDADE.

sábado, 6 de agosto de 2011

Eu não tenho medo de morrer. Eu apenas não queria morrer agora.

sexta-feira, 5 de agosto de 2011

Boa noite, lua.

Boa noite, Lua.

Procurei com quem conversar e com o que me ocupar hoje, mas nada achei. Descobri que precisava falar com alguém que me conhecesse mas que nada, em palavras, tivesse a me falar. Apenas um olhar, uma luz, já me serviriam de resposta. Escolhi a ti.
Não sei bem a inquietação que me invadiu, subitamente, sem me deixar escolha a não ser deixa-lá se abrigar em mim. É uma mistura de vazio e ansiedade. É algo que nunca esteve preenchido de verdade, e nem tão cedo estará.
Eu desejo algo que não sei o que é. Seria gritar? Se eu gritasse até dormir, isso me ajudaria. O que eu queria mesmo era poder dormir. Dormir sem pensar em nada. Sem todo aquele redomoinho que começa antes do adormecer e que muitas vezes te perturba até no sono. Gostaria de sonhar coisas belas e com desconhecidos. Um lugar de rostos que eu nunca os tenha visto e paisagens que ainda não conheço. Aventurar-me por um mar de coisas novas onde ninguém sabe quem sou, de onde venho, pra onde vou. Talvez esse seja meu anseio. 
Nada sei, cara Lua. Pelo menos nada referente à minha própria pessoa.

terça-feira, 19 de julho de 2011

Esse sentimento que carrego comigo me faz ficar mais pesada. É um segredo pequeno, mas que pesa por toneladas. Às vezes eu me sinto tão suja por gostar de ti. Eu não posso. Eu me prometi não pensar em ti.
Tento me distrair durante o dia, fugindo do emaranhado de pensamentos que me carregam, mas de nada me adianta. À noite tu estás lá, invadindo meu sonho e me carregando para um mundo onde tu gostas de mim. Como posso eu fugir desse mundo? Meu inconsciente trabalhando contra mim, e tu cada vez mais próximo de mim. Tu.
Eu mudo de caminho. Fujo de direção no olhar. Mas do que me adianta se eu sei que estás por perto. Se não fisicamente em pensamentos.
O que eu fiz? Eu não posso te querer. É errado. Tu já tens alguém. Mas do que me adianta se meu desejo é ter a ti.
Teu sorriso. Ao mesmo tempo que me prende, me destrói. E eu tendo que disfarçar cada dia mais o que comecei a sentir por ti, rapaz. Quando estavas distantes, era mais fácil. Agora é tudo tão nublado.
Eu tenho que me calar. Escondo-me. Mas a questão é: Até quando?

My dirty little secret.

terça-feira, 12 de julho de 2011

So complicated...

Cansei.
Não correrei atrás.
Eu tenho meu valor.
Eu sei.

Não te preocupes.
Não olho mais em tua direção.
Eu mudo a trajetória dos meus olhos.
Não o incomodarei.

...

segunda-feira, 20 de junho de 2011

Sabes da minha existência. Isso já me enche de alegria.
Talvez isso seja mais uma falsa esperança, mas é esperança minha.

sexta-feira, 3 de junho de 2011

Domani.

Tentarei tomar coragem.
Levantar a mão e dizer um 'oi'
Ao invés dos sorrisos
Sempre tímidos.

Confesso que tudo me assusta
E que tenho medo de me virar
E ver que quem está lá
É você.

terça-feira, 31 de maio de 2011

Today.

Hoje realmente o sorriso dele partiu em minha direção.

Será que ele desconfiou de alguma coisa?
Será que eu fiquei corada na frente dele?

Mas eu ainda não troquei uma única palavra com ele.
Desde ontem passei a enxergar tudo com outros olhos.

Cada dia é único.

sábado, 28 de maio de 2011

Interior.

Eu me olho no espelho e o que vejo não me agrada. 'Aspecto de doente'; é apenas isso que o reflexo me informa.
Hoje, aos 18anos, me sinto mais confusa do que quando eu tinha apenas 12.

terça-feira, 24 de maio de 2011

Mar de ideias.

Hoje eu senti, por alguns instantes, os olhos dele em mim. Eu olhei diretamente, mas logo desviei. Será que ele percebeu que eu fiquei corada ao vê-lo? Estranho isso. Essa sensação. Esse sentimento.

terça-feira, 10 de maio de 2011

Lacuna.

Será que já percebeste meu olhar de canto de olho em tua direção?
Será que já notaste como eu perco até a noção dos passos quando passo perto de ti?
Será que sabes que existo?
E eu ainda nem mesmo sei teu nome...

quinta-feira, 14 de abril de 2011

Nada de qualquer coisa.

Não sou qualquer uma. Não faço qualquer coisa.
Não me rendo à ameaças. Não me surpreendo com obviedades.
Não uso saia. Não ando sem os pés.
Não me guio por tendências. Não me iludo por besteiras.
Não falo o que não sei. Não conto o que não escutei.
Não finjo ter talento. Não tento ter sem conhecer.
Não quero o que não é meu. Não desejo o que é só teu.
Sou tudo do nada e nada do tudo.
Não te iludas com o que digo. Não espalhe o que não disse.

Não sou qualquer uma. O que faço ou fiz diz respeito somente a mim.
Não faço qualquer coisa. Ninguém é dono meu e nem eu dona de ninguém.
Não. E não insista.

sábado, 9 de abril de 2011

Saudade.

Não sinto saudade de todas as pessoas que ficaram no passado. Não sinto necessidade de conversar com elas. Não.
Algumas foram importantes, mas perderam seu brilho.Brilharam por tempo, até eu descobrir que elas não passavam de ouro de tolo.
Poucas foram as que brilharam e não se apagaram. Possuem uma luz própria, e cintilam mais que o mais puro ouro. São dessas que sinto e tenho falta.

Saudades de ti, caro amigo, que por pouco tempo esteve fisicamente junto comigo, mas que continua sempre por perto. Mais de 5 anos de amizade, apesar da distância.



quinta-feira, 7 de abril de 2011

A vida corre.

Estudos, estudos e estudos.
Felicidade sem fim?
O que mais me importa?
Eu sou feliz assim! ;D

domingo, 27 de março de 2011

Ressurgindo.

Eu não morri, apenas mudei de cidade.
Comecei a faculdade dia 14 deste mês, e o tempo livre não mais será abundante. Estou amando o curso e a vida de universitária, e confesso que me adaptei mais rápido do que imaginava.
Ando muito pensativa sobre os fatos que ocorreram em minha vida.

Só para dar um sinal de vida.
Aqui estou.
Eu aqui, você aí.
E mais uma vez a Terra girou.

sábado, 19 de fevereiro de 2011

Parábola dos meninos mortos.

“Cedo de manhã, naquela noite, dois meninos mortos se levantaram para lutar, dando as costas eles se encararam, e puxando as espadas eles atiraram um no outro, um guarda surdo ouviu o barulho, veio e matou os dois meninos mortos. Se você não acredita que essa mentira é verdade pergunte ao homem cego, pois ele também viu.”


Autor desconhecido.

sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

16 - 02- 2010

IFMT (antigo CEFET):



Mérito!

ENG.
UEMS & UFMT.

sexta-feira, 11 de fevereiro de 2011

Simplicidade.

São coisas simples que fazem a felicidade transbordar em nossos dias.

Pode ser um texto, um desenho ou uma música. Tudo é válido quando o sorriso que surge é verdadeiro, doce e inocente.
Eu gosto disso.

Disso o que?

Da chuva caindo. Ela me traz lembranças.

Que lembranças?

De um passado não muito distante e de coisas que nunca vivi...

É assim.

Quanto mais você se destaca, mais é exigido de você.



Meus pais sempre esperam cada vez mais de mim. Espero sempre fazer eles sentirem orgulho de mim.

Breve diálogo.

Filha: Pai, mais ele está funcionando. Tenho certeza!
Pai: Se isso não estiver funcionando, a gente terá uma conversinha quando chegarmos em casa.

Óculos.

Uso. Amo. Sinto orgulho.
Nada me faz trocar meus óculos por lentes. Nada mesmo.
Aliás, existe também algo mais encantador que garotos inteligentes, sábios e que usam óculos? É, já deu pra perceber um pouco sobre o 'modelo' de meninos que acho interessantes.

quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

"Dont wait for a knight in shinin armor
Your savorous reflected in the mirror
These flowers have grown from blood stains on the ground
Go rake them leaves off your grass and my grave
The fact is everyone bleeds when they shave"




Voices Of Violence - Billy Talent.

Decisões são tomadas a todos os momentos. O que você decidiu hoje?
Todos temos escolhas, e muitas vezes desviamos o verdadeiro caminho. Para onde você foi?
Há pedras no caminho para impedir a chegada. Você as pulou?
Sua língua tem veneno que fere os outros. Quem você envenenou hoje?
Seu corpo pode um instrumento de atração barata para os outros. Você o utiliza assim?
Seu conhecimento pode abrir fronteiras. O que você sabe?
Sua consciência pode dizer o que há de errado em suas ações. Você está sentindo o peso?

As pessoas ignoram os fatos e continuam nos caminhos errados. Eu já não alerto mais ninguém.
Pensar antes de agir. É assim que deveria ser, mas não é o que vejo ao meu redor.

sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

Eu passei!

Nada foi em vão. Eu consegui.



Engenharia Mecânica - UFMT!



P.s.: Esperando a 2ª chamada de Engenharia Física da UEMS, onde eu fiquei em 36º lugar de 35 vagas.


domingo, 9 de janeiro de 2011

De volta a rua Himmel.

Precisava desabar com alguém, e depois de pensar um pouco descobri que o único lugar disponível seria aqui. Hoje terminei de ler as últimas páginas de meu livro preferido: 'A menina que roubava livros'. É quinta vez que o leio, e é impressionante como a cada leitura percebo detalhes minunciosos que não havia reparo nas leituras anteriores. Cada leitura é a uma aventura nova pelos arredores de Munique, e principalmente no meu local favorito. Rua Himmel, 33.

Ainda sinto-me embreagada pelas suas palavras e pela imaginação despertada. Sinto o cheiro, a poeira, a neve e principalmente, vejo as cores do céu. Se eu fechar os olhos, posso sentir a neve lamacenta sob meus pés, e a chuva de cinzas em um céu encarnado.

Todo livro tem seu sabor, tem seu cheiro. Cada qual te leva a um mundo, muitas vezes conhecido de nova vista, só que com outras caras. Em toda cidade há uma rua Himmel. Se você se concentrar, juro a verá. O mundo que a leitura propcia pode ser mais verdadeiro que o dos cinemas.Sua imaginação é mais forte, e não tem uma censura a respeitar.

Quinta leitura, a primeira em que não choro. Ainda tenho o nervosismo de passear mais uma vez por uma Alemanha Nazista, com a morte e a menina que roubava livros.