terça-feira, 31 de agosto de 2010

Besteirol.

Acumulamos cada coisa em nossas mentes. Parece que o mais fútil e inútil prega no seu cérebro, seja aquela música chata, a piada sem graça e as besteiras. As mentes dos jovens, muitas vezes, são depósitos de tudo o que não presta. Cenas de filmes, piadas sem noção, músicas com letras sem conteúdo algum, e para piorar, o que serve de impulso para um disparo constante de coisas perversas e pervertidas é uma frase mal interpretada ou uma brincadeira sem noção.

quarta-feira, 25 de agosto de 2010

18 anos de ausência.


Hoje me senti culpada por não ter lembrado mais cedo dessa data que é lembrada com tristeza. Para quem não sabe, eu tinha um irmão do meio que veio a falecer meses antes do meu nascimento. Hoje está completando 18 anos que meu irmão deixou esse mundo e nos deixou na saudade.

Eu cresci sempre querendo saber mais e mais sobre como era meu irmão. Eu sempre disse que eu tinha 2 irmãos mais velhos, e não um só. Eu tento ter lembranças de alguém que não conheci direito, apenas em fotos, vídeos e pelo que me contam. Eu tento fazer parte de uma atmosfera que não cheguei a frequentar.

Em 25 de agosto de 1992, Giovanni Diogo Menegatti, meu irmão, meu maninho, veio a falecer. Em 27 de maio de 1993, Giovanna Maria Menegatti, eu, nasceu. Façam as contas. São 9 meses e 2 dias depois. Pouco tempo para quem está chegando e muito tempo de ausência de quem partiu.


Tudo o que quero dizer, meu maninho, é que gostaria imensamente de ter te conhecido, mas sei que tu olhas por mim e por nossa família. Eu sei que no futuro que à todos um dia chega, poderemos desfrutar o tempo que não tivemos um com o outro.
Amo-te.

terça-feira, 17 de agosto de 2010

17, com cara de 14.

É interessante o jeito como as faces das pessoas podem nos enganar quanto a idade que elas têm. Há pessoas que aparentam ser mais novas do que são, e o vice-versa é o mais comum.

Tenho 17 anos, mas muitos não acreditam que tenho essa idade. Acham que eu tenho 14, no máximo 15. No cinema, me pedem a carteira de idade quando vou assistir filmes de censura 16 anos. No colégio pensam que sou do 1º ano. Acho que o que contribui para isso é a minha estatura. Não sou alta, nem tenho "corpão".

Conheço inúmeras gurias da mesma idade que eu, e muitas até mais nova, que aparentam ter de 18 a 20 anos, e gostam de serem vistas como mais velhas. Usam roupas que acentuam essa aparência, e se comportam como tal. Posso confessar uma coisa? Eu não acho isso legal. Amadureceimento precoce na imagem não significa amadurecimento de ideias e pensamentos. Vejo muitas dessas garotas fazendo inúmeras besteiras, retratando claramente que não cresceram.

Hoje eu fico feliz por aparentar ser assim, "novinha". Espero continuar parecendo mais nova do que sou quando eu envelhecer, mais acima de tudo, fico grata por ter uma mente mais "velha" para poder ter consciência de que não é nada ruim aparentar anos a menos. Sou uma jovem idosa. Não sou velha de imagem, mas de pensamentos.

terça-feira, 10 de agosto de 2010

Sonhos e peripécias de uma mente demente.

Certas vezes sonhamos com assuntos que de nada nos acrescentam, mas que nos deixam com uma pulga atrás da orelha. Um ônibus que se pega errado, uma ladeira que você desce correndo, um amigo que começa a namorar. Esses são alguns dos sonhos que tive nos últimos dias. É engraçado que todos eles me levaram a refletir sobre vários assuntos.

Eu acho engraçado os meus sonhos, porque eles sempre tentam me fazer lembrar de algo que já nem lembrava que aconteceu. Pequenas peripécias que ocorrem e que deixamos de lado graças as inúmeras preocupações. Dependendo do que seja o conteúdo do sonho, é legal de se sonhar, mas também pode não ser.

A fantasia do impossível que os sonhos nos trazem, nos dão liberdade para depois encarar a vida real. Perder a vergonha de falar com determinada pessoa ou praticar tal ato.

Essa é um simples postagem, mas logo eu volto a ativa. Ou não.