quarta-feira, 23 de junho de 2010

Passei no vestibular!

Quinta-feira da semana passada, dia 17 de junho, saiu o resultado da UTFPR, e advinha só? EU PASSEI! Sim, passei para Engenharia Mecânica, o curso que tanto quero fazer! Imagina a felicidade da pequenina aqui! E para completar minha felicidade, tirei a maior nota da turma na prova de Biologia! Notícias boas felizmente existem, e aparecem nos momentos mais adequados.

Hoje, dia 23 de junho, começam as matrículas, mas eu não farei a minha. Sabe por quê? Por que eu ainda estou no 3º ano do ensino médio integrado ao ensino técnico. Sim, eu passei na universidade ainda com a nota do ENEM que fiz ano passado, quando estava no 2º ano. Fico feliz por isso. Realmente feliz. E fico mais feliz ainda por meus pais terem tanto orgulho de mim.

Bom, a questão é que agora tenho que passar novamente no vestibular, e espero que tudo dê certo. Não sei exatamente em qual universidade pretendo fazer meu curso, mas pretendo esse ano tirar uma nota boa o suficiente para poder escolher qualquer uma. Espero realmente que tudo dê certo, e sabe de uma coisa, senti orgulha de mim mesma, e me senti capaz.


Obrigada a todos que acreditam em mim.

terça-feira, 8 de junho de 2010

Nem toda menina é tão frágil.

Consegui a proeza de machucar meu dedão do pé no basquete, a tal ponto que a unha vai cair. É isso que ocorre quando eu tento fazer algum esporte com eficiência. Muitos dizem que eu não posso ou não deveria fazer várias coisas, porque sou menina, e ainda em especial porque dizem que eu pareço "frágil demais". Besteira! Pura besteira!

Eu sempre gostei de fazer várias coisas que eram consideradas masculinas. Assisto Fórmula 1 desde meus 8 anos de idade, e modéstia parte, eu entendo do assunto. Sempre preferi usar calça jeans e tênis ao invés de saia e sandália. Gostava de apostar com meu pai para ver quem tinha o arroto mais alto (confesso que às vezes ainda fazemos essa competição xD). Teve uma época em que eu gostava de usar calças e tênis masculinos (eu tinha uns 9 anos, e durou até os 12). Não gosto de usar cabelo comprido. Sempre tive mais interesse por a área de exatas do que por as outras. Adorava jogar jogos de luta no vídeo game. Assistia luta livre... Existem mais coisas ainda, mas nunca perdi minha feminilidade.

Esse ano, quando entrei pro basquete, muitos me perguntaram se eu era louca e tal. Se eu não tinha medo. Não, não tenho e nunca tive. Aliás, nunca irei ter. Isso eu agradeço aos meus pais que nunca me deixaram ser "mulherzinha" demais, e me ensinaram a não ter medo de nada. Não me vejo inferior nem superior; vejo-me igual.

Sei que a partir do próximo ano, se tudo der certo, ainda enfrentarei várias situações desse tipo, por escolher uma área de atuação onde há um número muito maior de homens do que de mulheres. Acha que estou com medo? Respondo que não. E farei tudo isso sendo feminina do jeito que sou, de maquiagem e chaveiros de bichinhos. DASHDIAUSHDIUSAHDAS


Enfim, post nada a ver. Estou sem inspiração hoje. HDSAHDIASHDSIUA xD

quarta-feira, 2 de junho de 2010

Meninas Más.

Rostos com expressões doces e angelicais escondem muitas coisas. As pessoas deixam-se levar facilmente pela aparência serena, angelical e "cute" que temos, sem imaginar o que pensamos e o que fazemos. Isso é o mais encantador.

Nós, meninas, muitas vezes enganamos, mesmo sem querer, com o nosso ar de doçura e fragilidade. Surpreendemos os outros com nossas atitudes e reais pensamentos. Isso é cômico. A reação deles varia entre espanto, descrença, aborrecimento ou simplesmente admiração. Sim, admiração. Tem quem goste disso, e para ser sincera, não são poucas.

Meninas más. É assim que nos chamam. Não por necessariamente fazermos coisas más, e sim por violar a imagem que passamos. Atitude. Ação. Ironia. Sarcasmo. Coragem. Maldade. Essas são algumas características de como somos, por dentro.

Analise muito bem antes de pensar. Sim, antes de agir de alguma maneira imbecil. Você nunca realmente sabe do que uma menina ma é capaz. Ela pode fazer, em pouco tempo, sua vida o paraíso, ou o inferno. Só depende de qual caminho você vai tomar.

Meninas más, sim. Meninas más.