domingo, 30 de maio de 2010

Aos 17.

Bom, achei que minha vida seria uma eterna monotonia e que nada poderia mudá-la. Doce engano. A partir desse ano eu resolvi fazer o possível para tornar-me uma pessoa mais ativa, participativa, mais aberta, mais divertida, mais retardada, mais livre, mais eu. Sim, no fundo eu sempre fui tudo isso, mas não deixava isso exposto. Talvez eu me envergonhasse ou tivesse medo. A verdade é que o jogo virou.

Na última quinta-feira eu completei 17 anos, e resolvi fazer um feedback do que havia feito até então. Descobri que neste ano eu tinha feito mais coisas do que no restante da minha vida inteira. Eu na realidade havia deixado de fazer tantas coisas. Prendia-me a coisas tão pequenas e tolas, e deixava de ver a imensidão existente ao meu redor. No fundo eu tinha medo.

As coisas mudaram de uma maneira tão fascinante. Sinto-me tão feliz de estar assim, mais aberta ao mundo e sem medo de arriscar. Tenho dado mais risadas, brincado mais, me divertido, aprontado e tantas outras coisas. Definitivamente eu me tornei uma sapeca serelepe. Eu gosto de ser assim, mas mais que isso, é bom eu me assumir o que eu sempre fui por dentro. Ser feliz é bom.

terça-feira, 25 de maio de 2010

A irritação vem com certas descobertas.

Quem nunca se deparou essa situação? Após conhecer mais a fundo certos assuntos, coisas, lugares e pessoas, passaram a se irritar com eles de uma maneira medonha. É a mesma coisa que ocorre quando comemos muitos doces; conhecemos profundamente o gosto do açúcar. Nos últimos tempos tenho me irritado com muitas coisas que antes me despertavam interesse, fascínio e curiosidade. Aliás, não apenas coisas, mas também pessoas. Aliás, principalmente as pessoas.
Há pessoas que conheci nesse ano que de início me chamaram atenção e interesse. Busquei conhecê-las, conhecer quem realmente eram e o que poderiam ter de tão supreendente. Mais uma anotação para a minha agenda, foi isso que eu ganhei. Sinceramente, as pessoas podem ser tão enfadonhas. Basta conhecê-las que todo o encanto morre. Que aos invés de procurá-la, você foge. A verdade é essa.
Há também aquelas pessoas que ao passar os anos, o processo ocorre de maneira contrária; quanto mais a conhece, maior o interesse. São pessoas que têm conteúdo a oferecer e enriquecem que os rodeia. Esses constituem a lista de pessoas que você admira, e que mesmo algumas não falando continuamente com você, fazem parte do seu dia a dia quando seus nomes são citados.
A irritação vem com o conhecimento de alguns segredos, ações e pensamentos. Quando descobre-se que não há algo frutífero para ser tratado. Quando as pessoas sentem-se demasiadamente cansadas. Quando a decepção surge.

domingo, 23 de maio de 2010

Chegando o vestibular.

O vestibular está cada vez mais próximo. Parece que novembro já é o próximo mês, e isso assusta. Assustam as pessoas que ainda não sabem o que querem da vida, que não é o meu caso; e assustam as que ainda não sabem para onde vão, como eu.
Tenho começado a fazer pesquisas e tudo mais, para saber onde eu vou parar. O que acontece é que quem no fim das contas vai escolher o local serão meus pais. Essa é a verdade.
Para onde vou, não sei. O que sei é que quero aproveitar ao máximo, da melhor maneira possível. Creio que todas as opções que vejo são um tanto "interessantes".

sexta-feira, 21 de maio de 2010

A velha história do patinho feio.

Hoje eu estava lembrando da minha infância, pré-adolescência e a adolescência, e comentando com minha mãe.
Eu fui uma criança linda, até meus 6 ou 7 anos de idade, depois disso a situação ficou dramática. Óculos aos 6 anos, aparelho aos 9, engordei, meu cabelo já não era mais o mesmo ainda por cima vieram as espinhas. Eu era considerada uma patinha feia por as outras pessoas da minha idade. A questão é que hoje as coisas são bem diferentes.
Com praticamente 17 anos, eu realmente deixei de ser uma patinha feia. Tudo começou a mudar realmente a partir dos 15 anos, e sinto demasiadamente feliz comigo mesma. Acho impressionante como as pessoas que passaram muito tempo sem me ver, e me vêem hoje admiram-se. É engraçado. Lógico, não sou a rainha da cocada preta, uma Lady Gaga da vida, mas sou uma garota diferente. Eu gosto disso. Gosto de me valorizar hoje em dia; é bom ter auto-estima elevada. Definitivamente, o patinho feio virou um cisne. É hora de ousar.

terça-feira, 18 de maio de 2010

Estratégias de Vingança.

Chega um momento em que sérias atitudes necessitam ser tomadas. Desenvolver uma estratégia de vingança está incluso. Não digo vingança do tipo "vou matar fulano" ou "deutrano vai ver o que é bom pra tosse"; digo no sentido de provar que muitas vezes as pessoas estão erradas sobre imagens, ideais, pessoas e sentimentos. Simplesmente demonstrar o que ela perdeu enquanto ficava por aí, fazendo planos lastimáveis e idiotas.

Sim, eu desenvolvi a minha estratégia de vingança. Quero demonstrar o quão enganadas determinadas pessoas estavam em relação a mim e a si mesmas. Não vou me tornar o que não sou, mas apenas dar mais ênfase no meu ser. Talvez assim elas aprendam a deixar de ser tão desligadas, mas também perceber que agora é tarde demais.

;D

quinta-feira, 13 de maio de 2010

Engano, doce engano.

Em algumas situações, descobrir que tudo não passou de um mal entendido torna as coisas tão doces e leves.
Alegrei-me com coisas que me pareciam tão distantes. É tão bom retomar coisas que se acha que havia perdido e que nada mais as tornariam possíveis. Eu me sinto repleta de felicidade e iluminada.

Isso é tudo o que tenho a dizer hoje, apenas.

quarta-feira, 12 de maio de 2010

Engraçado ligar para alguém que foi um grande amigo seu, mas que mudou totalmente quando foi morar longe. Após 4 meses sem conversas, nem mesmo recados ou torpedos trocados, você resolve telefonar e ouvir aquela voz que tanto te agradava, mas percebe que as coisas jamais serão como foram.

Eu, que sempre achei que as pessoas mantinham seus sentimentos por as outras me enganei. Nem todos são como eu, que apesar de tentar sentir ódio e esquecer alguém não consigo. Sempre que me pego querendo fazer isso, relembro do passado tão sublime que tive. Confesso que sou fraca, em certos aspectos, mas não considero isso uma fraquesa e sim uma qualidade minha. Qualidade sim, e porque não?

Apenas lembrando de um sorriso e o último adeus. Ele disse que estava ocupado, com certeza não queria conversar. Disse que me mandaria um recado ou algo do tipo um dia quando estivesse menos ocupado, mas sei que nunca mandará. Eu queria apenas ouvir mais uma vez sua voz, e acho que essa foi a última. A verdade é que eu sou fraca ao gostar dele, ainda passado tanto tempo, ainda tendo sofrido tanto, ainda tendo me iludido tanto, mas não é algo volntário meu.

Patética ao extremo, essa sou eu.

domingo, 9 de maio de 2010

Querido amigo Freddy.

Quanto tempo eu não assistia ao Freddy? Nem ue mesma sei ao certo. A verdade é que eu sempre tive um medo dele, e quando mais nova, o fato dele matar alguém enquanto dorme parecia terrível. Eu sofro com pesadelos em demasia, e ainda por cima insônia. Isso pode ter sido fruto da minha infância.
Ontem assisti ao novo-antigo "A nightmare on ElmStreet" e confesso que o meu caro amigo Freddy ainda me assusta. Certos medos de infância nunca acabam. A verdade é que agora que já estou "crescidinha" o filme me soou ainda mais aterrozinte, e isso parece muito infantil e bobo, mas é a verdade. Imagine-se dormir, ter um baita pesadelo e morrer dormindo! Ninguém pode ajudar você enquanto dorme, sonha. Isso é terrível e fascinante.
A verdade é que meu caro amigo Freddy vai acabar vindo me fazer uma visita, já que há tempos eu não me importava mais com ele.

Querido amigo Freddy, dê o ar de sua graça.


Estreiando

Olá!
Esse é o post de estreia desse blog que acaba de nascer, fruto dos meus pensamentos mais enfadonhos, dementes e retardos. Sou também a dona do Borboletas de Papel , mas lá trata-se de um blog poético e reflexivo (ou não).

O objetivo que tenho para este blog é desabafar todo um cotidiano de revoltas, raiva, amor e sei lá mais o que que eu tenha. É falar de maneira clara e objetiva (ao menos tentar u_u) tudo o que pode estar me passando pela cabeça e que várias pessoas possam vir a sentir o mesmo.



;D